segunda-feira, 14 de julho de 2008

La Bastille, on a besoin de...

Tive a sorte de já ter estado na Place de La Bastille, Paris.

Não posso dizer que tenha ficado muita coisa viva da prisão, salvo algumas partes do metro parisiense. Mas o que conta é a intenção e em 1789 a malta estava decidida a dar a volta à coisa.


Por cá também tivemos 25 de Abril e outros que tais mas sou muito novinho para me lembrar disso. Sendo da geração pós-25 Abril, não vejo como eu e outros da minha idade (e mais novos) possam dar valor a uma coisa sem a qual nunca estiveram...

Domingo foi dia de reflexão. Como convém, a retemperar forças para a próxima semana.
No entanto o dia acabou stressado! Descer à baixa da cidade com tudo de pernas para o ar, num dia de ESanto, é obra. Estacionar então nem se fala. Tudo isto para chegar às Portinhas.

Como nunca tinha visto, fica a minha opinião: Escura.

É mesmo! Epá tá muito bem pensada e é uma lufada de ar fresco para a marginal. Mas penso que fica escura à noite, de resto a pergunta que me ponho é porque levaram anos e anos até que se fizesse uma coisa discreta?

Faz me lembrar aquela piada que se dizia do Cavaco Silva em que ele dizia para os presidentes Francês e Americano:

- Estão a ver aquela estrada ali?

- Não.

- Pois, 100% ...


P.S.: E hoje é dia de França, e sobretudo o dia do Tourmalet e do Hutacan!